No ano em que o mobile ultrapassou o desktop, como fazer mobile marketing?

03/07/2015

O ano de 2015 nem terminou, e uma coisa é certa, o mobile já ultrapassou o desktop. Segundo pesquisa, nós olhamos nossos celulares mais de 150 vezes por dia. Não sabemos mais o que é ligar para a casa de fulano para pedir para falar com ele, não saímos mais de casa sem saber a previsão do tempo, nem passamos horas em filas de banco.

E se ele transforma a nossa vida de tal forma, ele também transforma as indústrias, mercados, e nisso tudo, as marcas. É preciso acompanhar esses novos hábitos do consumidor, já que nunca houve tantas maneiras de se chegar até ele. Saber que seu comportamento mudou, e que ninguém fica mais online quando quer algo, estamos online o tempo todo.

Mobile-Marketing

Nada de esperar chegar em casa e ter de ligar o computador, conectar a internet e escolher um tênis que quero comprar. Eu já sigo a minha marca preferida nas redes sociais, vi exatamente o modelo que queria, e vou comprar agora, diretamente do meu smartphone. Cada um já carrega a tecnologia no bolso, o consumidor só espera que as marcas também carreguem tudo que se procura, na hora em que se procura.

Estamos familiarizados com toda essa tecnologia. Segundo dados do Google Mobile Day, realizado no mês de Junho, o uso de 3G cresceu 128% nos últimos três meses, 62% dos usuários possuem mais de 25 anos, e 86% dos usuários faz pesquisas de compras no smartphone, sendo o site mobile o principal canal para atividades comerciais.

A questão não é mais por que fazer mobile marketing, e sim como fazer mobile marketing!


Mesmo com todo esse cenário mudando a relação entre marcas e pessoas, observa-se um investimento de apenas 5% em marketing. Um dos motivos para que até então as marcas desconsiderassem o mobile, estava no fato de acharem que o universo mobile era para ricos e jovens. O que é mostrado de maneira diferente nas pesquisas, especialmente em um cenário que apresenta a classe C como grande protagonista, tendo crescido em menos de uma década, 204%.

Ou seja, as marcas que querem conquistar o sucesso precisam sim aderir ao mobile, e com vontade de virar o jogo. O grande lance está em suprir as necessidades do consumidor, especialmente quando consegue atender aos seus micro-momentos. Aqueles momentos de tenho que comprar isso agora, preciso tirar esta dúvida, como chego a tal lugar. E é a construção do ambiente que dará esse suporte e fará toda a diferença na boa experiência do consumidor.

Mobile-Marketing

Uma versão desktop definitivamente não cabe em um site versão mobile, e não necessariamente no mobile um site ficará restrito ou mais pobre. É preciso considerar necessidades, sem sacrificar o conteúdo, pensando em itens de extrema importância como usabilidade, visual, campos de busca e resultados, bem como página inicial e navegação.

É muito importante que a plataforma esteja seguindo os melhores métodos para ser encontrada, já que:

- 86% das pesquisas de compras passam por lá;

- 91% dos usuários de smartphone buscam por informação em seus aparelhos enquanto estão no meio de alguma outra tarefa;

- 82% dos usuários consultam seus aparelhos até mesmo quando estão na loja decidindo o que comprar, mudando a sua decisão de compra na hora.

E o que todas essas informações significam? Que uma marca só será bem sucedida no mobile se seguir as melhores práticas, e principalmente, se tiver uma estratégia para atender as necessidades e suprir as demandas dos consumidores.

Se quiser saber mais sobre como o mobile marketing pode mudar a sua marca, entre em contato com a agência Lemon6.
VOLTAR